Fisioterapia P√©lvica ūüíó

@fisioterapeutagisellioliveira

  • 312 Posts
  • 2 258 Followers
Disfun√ß√Ķes Sexuais/Endometriose/Gestantes/Dor P√©lvica Cr√īnica/Reorganiza√ß√£o Visceral Abdominal e P√©lvica Contato no link abaixo ‚¨áÔłŹ
Os horm√īnios s√£o os principais respons√°veis end√≥genos pela libido seja homem ou mulher. √Č claro que s√£o diversos os envolvidos na estimula√ß√£o da libido, desde atra√ß√£o f√≠sica, qu√≠mica, toque, carinho, amor, paix√£o, fantasia e muito mais. Entretanto, tudo ocorre sinergicamente, de modo que a falta de um ou outro afetam invariavelmente a qualidade e quantidade de sensa√ß√£o. A Testosterona √© de fato o principal elemento na Libido masculina e feminina.  Estes rem√©dios de horm√īnios, s√£o percebidos de certa forma como agressores para o metabolismo e uma das respostas que o corpo d√° √© tentar ‚Äú prender ‚Äú o m√°ximo poss√≠vel destas subst√Ęncias hormonais. Uma das formas com que ele faz isto √© ; atrav√©s do f√≠gado √≥rg√£o que sofre com a passagem e metaboliza√ß√£o destes ‚Äú venenos‚ÄĚ. O f√≠gado ent√£o libera na corrente uma quantidade absurda de SHBG, que √© nada mais nada menos do que a prote√≠na ligadora/carreadora de horm√īnios sexuais. O SHBG, ao se atrelar aos horm√īnios, diminui a concentra√ß√£o dos Livres e Biodispon√≠veis. E isto seria √≥timo, se n√£o houvesse uma falha fundamental neste processo: O SHBG tem uma afinidade muito alta pela Testosterona!
Conclus√£o, a pobre testosterona ‚Äú paga o pato ‚Äú, tem seus n√≠veis livres diminu√≠dos e em grande parte das vezes fica inclusive incapaz de ser mensurada na corrente sangu√≠nea. SHBG se atrela de forma t√£o intensa com a testosterona, que ao inv√©s de somente proteger o corpo dos rem√©dios de horm√īnios, acaba deixando a mulher praticamente SEM testosterona para atuar em suas c√©lulas.
Sobre a libido, muitas, ou melhor, poucas mulheres ainda ficar√£o em d√ļvida a respeito desse ponto, pois n√£o sentem altera√ß√£o e nem diminui√ß√£o da libido, tes√£o, vontade de ter rela√ß√Ķes sexuais, seja l√° como voc√™ quiser interpretar. O problema √© o seguinte: e como saber como seria de fato a sua libido, se voc√™ usa tais p√≠lulas desde que se conhece por gente, minha querida? A verdade √© que s√≥ saber√°, o dia que n√£o mais estiver utilizando tal medicamento e, mesmo assim , ap√≥s um per√≠odo vari√°vel de reequil√≠brio hormonal, uma vez que contraceptivos geram um desequil√≠brio completo no perfil hormonal feminino.
POR VICTOR SORRENTINO

Os horm√īnios s√£o os principais respons√°veis end√≥genos pela libido seja homem ou mulher. √Č claro que s√£o diversos os envolvidos na estimula√ß√£o da libido, desde atra√ß√£o f√≠sica, qu√≠mica, toque, carinho, amor, paix√£o, fantasia e muito mais. Entretanto, tudo ocorre sinergicamente, de modo que a falta de um ou outro afetam invariavelmente a qualidade e quantidade de sensa√ß√£o. A Testosterona √© de fato o principal elemento na Libido masculina e feminina. Estes rem√©dios de horm√īnios, s√£o percebidos de certa forma como agressores para o metabolismo e uma das respostas que o corpo d√° √© tentar ‚Äú prender ‚Äú o m√°ximo poss√≠vel destas subst√Ęncias hormonais. Uma das formas com que ele faz isto √© ; atrav√©s do f√≠gado √≥rg√£o que sofre com a passagem e metaboliza√ß√£o destes ‚Äú venenos‚ÄĚ. O f√≠gado ent√£o libera na corrente uma quantidade absurda de SHBG, que √© nada mais nada menos do que a prote√≠na ligadora/carreadora de horm√īnios sexuais. O SHBG, ao se atrelar aos horm√īnios, diminui a concentra√ß√£o dos Livres e Biodispon√≠veis. E isto seria √≥timo, se n√£o houvesse uma falha fundamental neste processo: O SHBG tem uma afinidade muito alta pela Testosterona! Conclus√£o, a pobre testosterona ‚Äú paga o pato ‚Äú, tem seus n√≠veis livres diminu√≠dos e em grande parte das vezes fica inclusive incapaz de ser mensurada na corrente sangu√≠nea. SHBG se atrela de forma t√£o intensa com a testosterona, que ao inv√©s de somente proteger o corpo dos rem√©dios de horm√īnios, acaba deixando a mulher praticamente SEM testosterona para atuar em suas c√©lulas. Sobre a libido, muitas, ou melhor, poucas mulheres ainda ficar√£o em d√ļvida a respeito desse ponto, pois n√£o sentem altera√ß√£o e nem diminui√ß√£o da libido, tes√£o, vontade de ter rela√ß√Ķes sexuais, seja l√° como voc√™ quiser interpretar. O problema √© o seguinte: e como saber como seria de fato a sua libido, se voc√™ usa tais p√≠lulas desde que se conhece por gente, minha querida? A verdade √© que s√≥ saber√°, o dia que n√£o mais estiver utilizando tal medicamento e, mesmo assim , ap√≥s um per√≠odo vari√°vel de reequil√≠brio hormonal, uma vez que contraceptivos geram um desequil√≠brio completo no perfil hormonal feminino. POR VICTOR SORRENTINO

3
0
22 days ago
Conheça as possíveis causas e saiba quais o possíveis tratamentos.

 #amorsemdor  #fisioterapiapelvica  #sexualidade  #sexualidadesaudavel  # #saudesexualfeminina  #sexualidadefeminina

Conheça as possíveis causas e saiba quais o possíveis tratamentos. #amorsemdor #fisioterapiapelvica #sexualidade #sexualidadesaudavel # #saudesexualfeminina #sexualidadefeminina

7
2
22 days ago
Excita√ß√£o completa, prazer intenso, bem-estar, orgasmos. Acontece que, para muita gente , um n√ļmero de pessoas, ali√°s, bem maior do que se imagina, o sexo, infelizmente, √†s vezes tem mais a ver com dor do que satisfa√ß√£o. Tanto para algumas mulheres quanto tamb√©m para alguns homens, a simples ideia de transar pode dar calafrios e se transformar em um pesadelo.
Doenças físicas e fatores psicológicos são os principais responsáveis pela dispareunia, nome técnico e genérico dado às dores que aparecem não só durante o ato sexual, mas também depois. Na maioria das vezes, os pacientes demoram a buscar ajuda médica por vergonha ou medo, afinal, a pressão da sociedade por uma vida sexual "normal" é tão forte que se expor e pedir ajuda acaba sendo visto como sinal de fraqueza e inadequação.
Muitas mulheres consideram que a dor sexual faz parte do processo, e acabam n√£o procurando ajuda m√©dica. Isso interfere na sexualidade, pois a mulher entra em um c√≠rculo vicioso: com medo de sentir dor, tem mais contra√ß√Ķes musculares e acaba sentindo mais dor ainda.
 √Č fundamental que as mulheres n√£o se conformem com o inc√īmodo, e conversem com seu ginecologista a fim de tra√ßar um diagn√≥stico correto. embora apenas 10% das mulheres que entram em um consult√≥rio se queixem sobre dores na rela√ß√£o, o n√ļmero de pacientes que se deparam com o problema certamente √© muito maior.
Isso porque, se a mulher n√£o fala que h√° algo de errado acontecendo, tamb√©m n√£o cabe ao m√©dico questionar a sexualidade dela. Cai-se, deste modo, em um sil√™ncio que termina por isolar ainda mais a mulher em um mundo particular de dor e d√ļvidas, o que certamente n√£o √© saud√°vel nem ajudar√° a resolver a situa√ß√£o.
Hoje em dia temos vários tratamento que podem ajudar essas mulheres, mas para isso ela precisa de coragem para se expor e contar o que está acontecendo para seu ginecologista, para logo depois buscar a causa e começar um possível tratamento que pode ser medicamentoso, terapêutico ou com a fisioterapia pélvica.
O que não pode é ficar calada e aceitar uma vida sem prazer e medo, tenha coragem, procurem ajuda!
 #fisioterapia  #fisiopelvica  #fisiointima  #sexo  #sexologia  #disfunçãosexual  #vaginismo  #terapiasexual

Excita√ß√£o completa, prazer intenso, bem-estar, orgasmos. Acontece que, para muita gente , um n√ļmero de pessoas, ali√°s, bem maior do que se imagina, o sexo, infelizmente, √†s vezes tem mais a ver com dor do que satisfa√ß√£o. Tanto para algumas mulheres quanto tamb√©m para alguns homens, a simples ideia de transar pode dar calafrios e se transformar em um pesadelo. Doen√ßas f√≠sicas e fatores psicol√≥gicos s√£o os principais respons√°veis pela dispareunia, nome t√©cnico e gen√©rico dado √†s dores que aparecem n√£o s√≥ durante o ato sexual, mas tamb√©m depois. Na maioria das vezes, os pacientes demoram a buscar ajuda m√©dica por vergonha ou medo, afinal, a press√£o da sociedade por uma vida sexual "normal" √© t√£o forte que se expor e pedir ajuda acaba sendo visto como sinal de fraqueza e inadequa√ß√£o. Muitas mulheres consideram que a dor sexual faz parte do processo, e acabam n√£o procurando ajuda m√©dica. Isso interfere na sexualidade, pois a mulher entra em um c√≠rculo vicioso: com medo de sentir dor, tem mais contra√ß√Ķes musculares e acaba sentindo mais dor ainda. √Č fundamental que as mulheres n√£o se conformem com o inc√īmodo, e conversem com seu ginecologista a fim de tra√ßar um diagn√≥stico correto. embora apenas 10% das mulheres que entram em um consult√≥rio se queixem sobre dores na rela√ß√£o, o n√ļmero de pacientes que se deparam com o problema certamente √© muito maior. Isso porque, se a mulher n√£o fala que h√° algo de errado acontecendo, tamb√©m n√£o cabe ao m√©dico questionar a sexualidade dela. Cai-se, deste modo, em um sil√™ncio que termina por isolar ainda mais a mulher em um mundo particular de dor e d√ļvidas, o que certamente n√£o √© saud√°vel nem ajudar√° a resolver a situa√ß√£o. Hoje em dia temos v√°rios tratamento que podem ajudar essas mulheres, mas para isso ela precisa de coragem para se expor e contar o que est√° acontecendo para seu ginecologista, para logo depois buscar a causa e come√ßar um poss√≠vel tratamento que pode ser medicamentoso, terap√™utico ou com a fisioterapia p√©lvica. O que n√£o pode √© ficar calada e aceitar uma vida sem prazer e medo, tenha coragem, procurem ajuda! #fisioterapia #fisiopelvica #fisiointima #sexo #sexologia #disfun√ß√£osexual #vaginismo #terapiasexual

4
0
23 days ago
Conhecer o próprio corpo é o primeiro passo para experimentar uma vida sexual saudável e prazerosa.

Conhecer o próprio corpo é o primeiro passo para experimentar uma vida sexual saudável e prazerosa.

7
0
23 days ago
A maioria das mulheres n√£o gostam de realizar um exame de Papanicolau. O processo n√£o √© penoso, mas √©, geralmente, desconfort√°vel. Al√©m do desconforto f√≠sico, muitas mulheres apresentam um problema com a vergonha durante este exame, por isso a capacidade de relaxar durante o exame √© importante. Se seus m√ļsculos estiverem tensos, o desconforto ser√° maior.
*Lembre-se que não é novidade para o médico. O Papanicolau é algo que a maioria das mulheres fazem anualmente e o médico faz este exame e outros durante o dia todo. Para você, esta é uma questão muito importante, mas para o médico, é um procedimento rotineiro.
*Fa√ßa exerc√≠cios de Kegel diariamente. Seu assoalho p√©lvico √© constitu√≠do por m√ļsculos e esses exerc√≠cios lhe dar√° mais controle sobre ele. Mesmo que voc√™ n√£o fique psicologicamente relaxada durante o exame de Papanicolau, a musculatura p√©lvica bem desenvolvida poder√° ser relaxada no momento do exame.
*Peça para usar o banheiro antes de se consultar com o médico e esvazie a bexiga, mesmo se você não esteja com vontade de urinar. A bexiga vazia durante o exame de Papanicolau irá torná-lo menos desconfortável. Quando estiver cheia será difícil relaxar durante o procedimento.
*Respire profundamente quando entrar no consultório do médico e em cada vez que estiver se sentindo nervosa.
*Escolha um local do teto ou no alto de uma parede para se concentrar enquanto estiver deitada na mesa ginecol√≥gica. √Č mais dif√≠cil relaxar durante o Papanicolau se voc√™ n√£o souber para onde olhar.
*Siga o exemplo do seu médico. A maioria dos médicos tentam conversar com a paciente enquanto estiver fazendo o Papanicolau, especialmente se ele souber que você está se sentindo desconfortável. Ele fará perguntas e tentará envolvê-la na conversa. Deixe o médico falar e o procedimento terminará sem que você perceba.
criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta e sexóloga
 #fisioterapia  #fisiopelvica  #fisioterapiapelvica  #fisiointima  #fisioterapiaintima  #fisiosaudedamulher  #sexo  #sexologia  #disfunçãosexual  #vaginismo  #terapiasexual  #amorsemdor  #dor

A maioria das mulheres n√£o gostam de realizar um exame de Papanicolau. O processo n√£o √© penoso, mas √©, geralmente, desconfort√°vel. Al√©m do desconforto f√≠sico, muitas mulheres apresentam um problema com a vergonha durante este exame, por isso a capacidade de relaxar durante o exame √© importante. Se seus m√ļsculos estiverem tensos, o desconforto ser√° maior. *Lembre-se que n√£o √© novidade para o m√©dico. O Papanicolau √© algo que a maioria das mulheres fazem anualmente e o m√©dico faz este exame e outros durante o dia todo. Para voc√™, esta √© uma quest√£o muito importante, mas para o m√©dico, √© um procedimento rotineiro. *Fa√ßa exerc√≠cios de Kegel diariamente. Seu assoalho p√©lvico √© constitu√≠do por m√ļsculos e esses exerc√≠cios lhe dar√° mais controle sobre ele. Mesmo que voc√™ n√£o fique psicologicamente relaxada durante o exame de Papanicolau, a musculatura p√©lvica bem desenvolvida poder√° ser relaxada no momento do exame. *Pe√ßa para usar o banheiro antes de se consultar com o m√©dico e esvazie a bexiga, mesmo se voc√™ n√£o esteja com vontade de urinar. A bexiga vazia durante o exame de Papanicolau ir√° torn√°-lo menos desconfort√°vel. Quando estiver cheia ser√° dif√≠cil relaxar durante o procedimento. *Respire profundamente quando entrar no consult√≥rio do m√©dico e em cada vez que estiver se sentindo nervosa. *Escolha um local do teto ou no alto de uma parede para se concentrar enquanto estiver deitada na mesa ginecol√≥gica. √Č mais dif√≠cil relaxar durante o Papanicolau se voc√™ n√£o souber para onde olhar. *Siga o exemplo do seu m√©dico. A maioria dos m√©dicos tentam conversar com a paciente enquanto estiver fazendo o Papanicolau, especialmente se ele souber que voc√™ est√° se sentindo desconfort√°vel. Ele far√° perguntas e tentar√° envolv√™-la na conversa. Deixe o m√©dico falar e o procedimento terminar√° sem que voc√™ perceba. criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta e sex√≥loga #fisioterapia #fisiopelvica #fisioterapiapelvica #fisiointima #fisioterapiaintima #fisiosaudedamulher #sexo #sexologia #disfun√ß√£osexual #vaginismo #terapiasexual #amorsemdor #dor

7
0
24 days ago
Saiba como aguçar a imaginação e restaurar a libido e o desejo sexual

Saiba como aguçar a imaginação e restaurar a libido e o desejo sexual

8
0
24 days ago
Durante a gravidez o peso do √ļtero multiplica-se por 20 ou 30x. Ao alargar-se, ele comprime a bexiga para baixo. A press√£o aumenta fortemente sobre o per√≠neo. Os horm√īnios da gravidez t√™m um efeito relaxante sobre os ligamentos e os m√ļsculos do corpo. Assim, os √≥rg√£os abdominais, que s√£o mais pesados, que est√£o com sua sustenta√ß√£o prejudicada dependem muito mais da sustenta√ß√£o do per√≠neo, que por sua vez est√° mais relaxado.No parto normal constitui mais uma etapa cr√≠tica. A passagem da crian√ßa pela fileira genital distende, de maneira espantosa, as fibras musculares do per√≠neo se n√£o estiverem fortes e flex√≠veis, a chance de lacera√ß√£o √© grande. Hoje em dia temos como preparar o seu per√≠neo para o parto normal atrav√©s de massagem perineal ( a partir de 34 semanas ) e a utiliza√ß√£o do epi-no, que √© o dispositivo alem√£o que alonga o per√≠neo e lhe ensina a como realizar a for√ßa expulsiva de forma correta com menos gasto de energia ( a partir de 37 semanas )e ao longo da gesta√ß√£o com o fortalecimento perineal. Com isso voc√™ pode estar mais preparada para o seu parto normal.
Fale com sua Ginecologista e procure uma Fisioterapeuta Pélvica e informe-se sobre o assunto.
Criado por: Giselli Oliveira Fisioterapeuta Sa√ļde da Mulher e Sex√≥loga
 #fisioterapia  #fisiopelvica  #fisioterapiapelvica  #fisiointima  #fisioterapiaintima  #fisiosaudedamulher  #sexo  #sexologia  #disfunçãosexual  #vaginismo  #terapiasexual  #amorsemdor

Durante a gravidez o peso do √ļtero multiplica-se por 20 ou 30x. Ao alargar-se, ele comprime a bexiga para baixo. A press√£o aumenta fortemente sobre o per√≠neo. Os horm√īnios da gravidez t√™m um efeito relaxante sobre os ligamentos e os m√ļsculos do corpo. Assim, os √≥rg√£os abdominais, que s√£o mais pesados, que est√£o com sua sustenta√ß√£o prejudicada dependem muito mais da sustenta√ß√£o do per√≠neo, que por sua vez est√° mais relaxado.No parto normal constitui mais uma etapa cr√≠tica. A passagem da crian√ßa pela fileira genital distende, de maneira espantosa, as fibras musculares do per√≠neo se n√£o estiverem fortes e flex√≠veis, a chance de lacera√ß√£o √© grande. Hoje em dia temos como preparar o seu per√≠neo para o parto normal atrav√©s de massagem perineal ( a partir de 34 semanas ) e a utiliza√ß√£o do epi-no, que √© o dispositivo alem√£o que alonga o per√≠neo e lhe ensina a como realizar a for√ßa expulsiva de forma correta com menos gasto de energia ( a partir de 37 semanas )e ao longo da gesta√ß√£o com o fortalecimento perineal. Com isso voc√™ pode estar mais preparada para o seu parto normal. Fale com sua Ginecologista e procure uma Fisioterapeuta P√©lvica e informe-se sobre o assunto. Criado por: Giselli Oliveira Fisioterapeuta Sa√ļde da Mulher e Sex√≥loga #fisioterapia #fisiopelvica #fisioterapiapelvica #fisiointima #fisioterapiaintima #fisiosaudedamulher #sexo #sexologia #disfun√ß√£osexual #vaginismo #terapiasexual #amorsemdor

7
0
25 days ago
Conte√ļdo destinado a mulheres que queiram saber mais sobre sua sexualidade e/ou que tenham disfun√ß√£o sexual feminina.

Conte√ļdo destinado a mulheres que queiram saber mais sobre sua sexualidade e/ou que tenham disfun√ß√£o sexual feminina.

15
4
26 days ago
Essa doen√ßa ainda exerce impactos na vida social e sexual da paciente. Inicialmente, a paciente come√ßa a ter c√≥licas menstruais muito fortes, deixando toda a pelve muito sens√≠vel e dolorida, fato que prejudica as rela√ß√Ķes sexuais. Como o quadro √© progressivo e a ader√™ncia entre os √≥rg√£os p√©lvicos vai se tornando cada vez mais freq√ľente, as limita√ß√Ķes quanto √†s posi√ß√Ķes, a dificuldade de obter orgasmo e, por fim, a pr√≥pria libido, tendem a sofrer graves preju√≠zos. O que mais preocupa √© o fato de, em muitos casos, mesmo ap√≥s o tratamento cir√ļrgico ou medicamentoso, quando a paciente j√° n√£o sente mais as temidas dores, o dano sexual permanecer. N√£o raramente nos deparamos com relacionamentos que naufragaram, com mulheres deprimidas e ansiosas, com p√©ssimas qualidades de vida.
Mas temos como ajudar essas paciente atrav√©s da fisioterapia p√©lvica com exerc√≠cios de alongamento da musculatura p√©lvica, retirada de retra√ß√Ķes ou pontos de tens√Ķes e manobras p√©lvica para aliviar espasmos das musculaturas acess√≥rias da pelve que interagem diretamente com o assoalho p√©lvico. Com isso o desconforto pode ser retirado em 100%, se voc√™ ainda sente desconforto marque uma avalia√ß√£o com uma fisioterapeuta p√©lvica e fique livre do desconforto durante o sexo.
Criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta Sa√ļde da Mulher e sex√≥loga
  #fisioterapia  #fisiopelvica  #fisioterapiapelvica  #fisiointima  #fisioterapiaintima  #fisiosaudedamulher  #sexo  #sexologia  #disfunçãosexual  #vaginismo  #terapiasexual  #amorsemdor

Essa doen√ßa ainda exerce impactos na vida social e sexual da paciente. Inicialmente, a paciente come√ßa a ter c√≥licas menstruais muito fortes, deixando toda a pelve muito sens√≠vel e dolorida, fato que prejudica as rela√ß√Ķes sexuais. Como o quadro √© progressivo e a ader√™ncia entre os √≥rg√£os p√©lvicos vai se tornando cada vez mais freq√ľente, as limita√ß√Ķes quanto √†s posi√ß√Ķes, a dificuldade de obter orgasmo e, por fim, a pr√≥pria libido, tendem a sofrer graves preju√≠zos. O que mais preocupa √© o fato de, em muitos casos, mesmo ap√≥s o tratamento cir√ļrgico ou medicamentoso, quando a paciente j√° n√£o sente mais as temidas dores, o dano sexual permanecer. N√£o raramente nos deparamos com relacionamentos que naufragaram, com mulheres deprimidas e ansiosas, com p√©ssimas qualidades de vida. Mas temos como ajudar essas paciente atrav√©s da fisioterapia p√©lvica com exerc√≠cios de alongamento da musculatura p√©lvica, retirada de retra√ß√Ķes ou pontos de tens√Ķes e manobras p√©lvica para aliviar espasmos das musculaturas acess√≥rias da pelve que interagem diretamente com o assoalho p√©lvico. Com isso o desconforto pode ser retirado em 100%, se voc√™ ainda sente desconforto marque uma avalia√ß√£o com uma fisioterapeuta p√©lvica e fique livre do desconforto durante o sexo. Criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta Sa√ļde da Mulher e sex√≥loga #fisioterapia #fisiopelvica #fisioterapiapelvica #fisiointima #fisioterapiaintima #fisiosaudedamulher #sexo #sexologia #disfun√ß√£osexual #vaginismo #terapiasexual #amorsemdor

4
0
26 days ago
A dor p√©lvica cr√īnica tem um forte impacto negativo sobre a qualidade de vida integral dos indiv√≠duos. Caracterizada por uma dor cr√īnica localizada na pelve com dura√ß√£o maior que tr√™s a seis meses. Os sintomas mais comuns no homem s√£o dor ou desconforto no per√≠neo, √°rea suprap√ļbica, p√™nis e test√≠culos, al√©m de dis√ļria (dor ao urinar) e dor ejaculat√≥ria. Pode haver tamb√©m sintomas urin√°rios obstrutivos como fluxo lento, intermitente e irritante, com aumento de frequ√™ncia e/ou urg√™ncia. √Č comum a disfun√ß√£o sexual em ambos os sexos.
Sistemicamente, os portadores de dor p√©lvica cr√īnica apresentam mialgia (dor muscular), artralgia (dor articular) e fadiga inexplicada. Alguns pacientes t√™m uma variante de cistite intersticial (irrita√ß√£o ou inflama√ß√£o da parede da bexiga) e/ou s√≠ndrome da dor vesical com desconforto predominante na bexiga associada a problemas de mic√ß√£o.
Nas mulheres, a síndrome pode ter causas ginecológicas: Endometriose; Adenomiose; Pólipo; Prolapso genital; Mioma uterino; Varizes pélvicas; Aderências pélvicas; Doença inflamatória pélvica;
E causas n√£o ginecol√≥gicas: S√≠ndrome do c√≥lon irrit√°vel; Constipa√ß√£o cr√īnica; H√©rnias; Cistite intersticial; Lit√≠ase urin√°ria (c√°lculo renal); Desordens psicol√≥gicas; Altera√ß√Ķes musculoesquel√©ticas;
Tratamento: Primeiro consulte o seu ginecologista. depois, a fisioterapia p√©lvica pode ajudar, pois trabalha com recursos terap√™uticos manuais (relaxamento), libera√ß√£o miofascial, reeduca√ß√£o postural global, massagem perineal, termoterapia, eletroterapia (TENS), cinesioterapia e biofeedback negativo, para: Normalizar o t√īnus muscular (estado de tens√£o) em repouso;Reeducar os m√ļsculos do assoalho p√©lvico para serem utilizados com for√ßa adequada;Educar padr√Ķes de movimento eficiente e a facilita√ß√£o do retorno dos pacientes √†s atividades funcionais;E acrescentar uma terapia comportamental.
Criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta sa√ļde da Mulher e sex√≥loga
 #fisioterapia  #fisiopelvica  #fisioterapiapelvica  #fisiointima  #fisioterapiaintima  #fisiosaudedamulher  #sexo  #sexologia  #disfunçãosexual  #vaginismo  #terapiasexual  #amorsemdor

A dor p√©lvica cr√īnica tem um forte impacto negativo sobre a qualidade de vida integral dos indiv√≠duos. Caracterizada por uma dor cr√īnica localizada na pelve com dura√ß√£o maior que tr√™s a seis meses. Os sintomas mais comuns no homem s√£o dor ou desconforto no per√≠neo, √°rea suprap√ļbica, p√™nis e test√≠culos, al√©m de dis√ļria (dor ao urinar) e dor ejaculat√≥ria. Pode haver tamb√©m sintomas urin√°rios obstrutivos como fluxo lento, intermitente e irritante, com aumento de frequ√™ncia e/ou urg√™ncia. √Č comum a disfun√ß√£o sexual em ambos os sexos. Sistemicamente, os portadores de dor p√©lvica cr√īnica apresentam mialgia (dor muscular), artralgia (dor articular) e fadiga inexplicada. Alguns pacientes t√™m uma variante de cistite intersticial (irrita√ß√£o ou inflama√ß√£o da parede da bexiga) e/ou s√≠ndrome da dor vesical com desconforto predominante na bexiga associada a problemas de mic√ß√£o. Nas mulheres, a s√≠ndrome pode ter causas ginecol√≥gicas: Endometriose; Adenomiose; P√≥lipo; Prolapso genital; Mioma uterino; Varizes p√©lvicas; Ader√™ncias p√©lvicas; Doen√ßa inflamat√≥ria p√©lvica; E causas n√£o ginecol√≥gicas: S√≠ndrome do c√≥lon irrit√°vel; Constipa√ß√£o cr√īnica; H√©rnias; Cistite intersticial; Lit√≠ase urin√°ria (c√°lculo renal); Desordens psicol√≥gicas; Altera√ß√Ķes musculoesquel√©ticas; Tratamento: Primeiro consulte o seu ginecologista. depois, a fisioterapia p√©lvica pode ajudar, pois trabalha com recursos terap√™uticos manuais (relaxamento), libera√ß√£o miofascial, reeduca√ß√£o postural global, massagem perineal, termoterapia, eletroterapia (TENS), cinesioterapia e biofeedback negativo, para: Normalizar o t√īnus muscular (estado de tens√£o) em repouso;Reeducar os m√ļsculos do assoalho p√©lvico para serem utilizados com for√ßa adequada;Educar padr√Ķes de movimento eficiente e a facilita√ß√£o do retorno dos pacientes √†s atividades funcionais;E acrescentar uma terapia comportamental. Criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta sa√ļde da Mulher e sex√≥loga #fisioterapia #fisiopelvica #fisioterapiapelvica #fisiointima #fisioterapiaintima #fisiosaudedamulher #sexo #sexologia #disfun√ß√£osexual #vaginismo #terapiasexual #amorsemdor

9
0
27 days ago
Tipos e Sintomas
a) Incontin√™ncia urin√°ria de esfor√ßo ‚Äď o sintoma inicial √© a perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exerc√≠cio, movimenta-se;
b) Incontin√™ncia urin√°ria de urg√™ncia ‚Äď mais grave do que a de esfor√ßo, caracteriza-se pela vontade s√ļbita de urinar que ocorre em meio √†s atividades di√°rias e a pessoa perde urina antes de chegar ao banheiro;
c) Incontin√™ncia mista ‚Äď associa os dois tipos de incontin√™ncia acima citados e o sintoma mais importante √© a impossibilidade de controlar a perda de urina pela uretra.
Diagnóstico
São dados importantes para o diagnóstico, o levantamento da história dos pacientes e a elaboração de um diário miccional onde eles devem registrar as características e frequência da perda urinária.
Outro recurso para firmar o diagn√≥stico √© o exame urodin√Ęmico, que √© pouco invasivo e registra a ocorr√™ncia de contra√ß√Ķes vesicais e a perda urin√°ria sob esfor√ßo.
* Evitar a obesidade e o sedentarismo, controlar o ganho de peso durante a gesta√ß√£o, praticar exerc√≠cios fisioter√°picos para fortalecer o assoalho p√©lvico, s√£o medidas que podem ser √ļteis na preven√ß√£o da incontin√™ncia urin√°ria.
Criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta Sa√ļde da mulher e Sex√≥loga
 #fisioterapia  #fisioterapiapelvica  #fisioipelvica  #fisiointima  #sexo  #sexologia   #fisioterapiasaudedamulher  #fisiosaudedamulher

Tipos e Sintomas a) Incontin√™ncia urin√°ria de esfor√ßo ‚Äď o sintoma inicial √© a perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exerc√≠cio, movimenta-se; b) Incontin√™ncia urin√°ria de urg√™ncia ‚Äď mais grave do que a de esfor√ßo, caracteriza-se pela vontade s√ļbita de urinar que ocorre em meio √†s atividades di√°rias e a pessoa perde urina antes de chegar ao banheiro; c) Incontin√™ncia mista ‚Äď associa os dois tipos de incontin√™ncia acima citados e o sintoma mais importante √© a impossibilidade de controlar a perda de urina pela uretra. Diagn√≥stico S√£o dados importantes para o diagn√≥stico, o levantamento da hist√≥ria dos pacientes e a elabora√ß√£o de um di√°rio miccional onde eles devem registrar as caracter√≠sticas e frequ√™ncia da perda urin√°ria. Outro recurso para firmar o diagn√≥stico √© o exame urodin√Ęmico, que √© pouco invasivo e registra a ocorr√™ncia de contra√ß√Ķes vesicais e a perda urin√°ria sob esfor√ßo. * Evitar a obesidade e o sedentarismo, controlar o ganho de peso durante a gesta√ß√£o, praticar exerc√≠cios fisioter√°picos para fortalecer o assoalho p√©lvico, s√£o medidas que podem ser √ļteis na preven√ß√£o da incontin√™ncia urin√°ria. Criado por Giselli Oliveira Fisioterapeuta Sa√ļde da mulher e Sex√≥loga #fisioterapia #fisioterapiapelvica #fisioipelvica #fisiointima #sexo #sexologia #fisioterapiasaudedamulher #fisiosaudedamulher

13
0
27 days ago
For√ßa, foco e f√© para seguir em frente e continuar a sua caminha a felicidade ūüí™ūüĎäūüôŹ

Criado por Giselli Oliveira - Fisioterapeuta Sa√ļde da Mulher e Sex√≥loga

For√ßa, foco e f√© para seguir em frente e continuar a sua caminha a felicidade ūüí™ūüĎäūüôŹ Criado por Giselli Oliveira - Fisioterapeuta Sa√ļde da Mulher e Sex√≥loga

11
1
a month ago